top of page
  • biancaballotto

Como reconstruir o olhar com a Blefaroplastia


(Foto: Divulgação)


Nessa época de pandemia os olhos nunca estiveram tanto em evidência, por isso, o número de cirurgias plásticas para transformar e deixar o olhar mais marcante e bonito vem aumentando consideravelmente. Um dos procedimentos estéticos mais recomendados para reduzir a aparência de cansaço proporcionada pelas pálpebras caídas é a Blefaroplastia, uma intervenção cirúrgica, que, além de melhorar o aspecto também revitaliza o olhar.


Realizado por um cirurgião plástico especialista, esse procedimento reposiciona as pálpebras através da retirada dos excessos de pele e das bolsas de gordura presentes nessa região. Além de rejuvenescer, essa intervenção também reduz as rugas e linhas de expressão, proporcionando um melhor resultado, deixando o rosto mais jovem e harmônico.


Segundo o Dr. Rogério Leal, cirurgião oculoplástico especializado nesse tipo de intervenção, esse procedimento pode ser feito tanto na parte superior quanto inferior das pálpebras. “Quando a cirurgia é feita apenas embaixo é chamada de Blefaroplastia inferior e tem o objetivo de tratar as bolsas de gordura e a pele na região abaixo dos olhos. Neste caso, o problema pode ser causado pela perda de firmeza da pele e dos músculos da face, que, somados à flacidez das pálpebras inferiores, proporcionam uma aparência de cansaço”.


Em alguns casos, para obter melhores resultados, o médico sugere associar a cirurgia com outros procedimentos como elevação das sobrancelhas, peelings químicos, laser, preenchimentos com ácido hialurônico, com a gordura do próprio paciente ou ainda a transposição de gordura.


Rogério acrescenta que a Blefaroplastia é uma cirurgia delicada e deve ser realizada apenas por médicos especialistas. “Depois de examinado é medida a quantidade de pele que será retirada do paciente e marcada a região dos cortes da cirurgia. Em seguida, é infiltrada uma quantidade adequada de anestésico nas pálpebras (anestesia local) e feita a sedação para proporcionar maior conforto. Em pessoas mais sensíveis, também pode ser utilizada a anestesia geral”, explica.


Além do método tradicional, a Blefaroplastia também pode ser feita com aparelho de laser de CO2 fracionado que possui duas ponteiras, sendo uma utilizada para a realização dos cortes. “A ponteira do laser tem a função de coagular os vasos sanguíneos impedindo que ocorram sangramentos ao mesmo tempo que são realizados os cortes. Dessa forma, o inchaço e a formação de hematomas no período pós-operatório são reduzidos”, acrescenta.


Para os casos de olheiras marcantes, quando a cirurgia é finalizada, Rogério recomenda a realização de resurfacing ou peeling que promovem a renovação da superfície da pele através do aumento da produção de colágeno. “Além do rejuvenescimento da região das pálpebras, esses procedimentos reduzem as rugas e poros, diminuem a flacidez e clareiam a pele”, justifica.


Em casos em que o envelhecimento cutâneo é intenso, o cirurgião explica que pode substituir o laser pelo Peeling Químico Médio ou pelo Profundo com Fenol e reforça ainda a importância do paciente manter os cuidados pós-operatórios como o uso de compressas frias, analgésicos, alimentação adequada, drenagem linfática facial e repouso na primeira semana para atingir os resultados desejados rapidamente.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page