• Bianca

Fábio Porchat conversa com os apresentadores do Balanço Geral Reinaldo Gottino, Tino Júnior, José Ed


(Foto: Edu Moraes/Record TV)

Na noite desta segunda-feira, 04/09, Fábio Porchat reúne em seu sofá um time de peso do jornalismo para debater assuntos polêmicos, como a redução da maioridade penal, a reforma política, a conduta da polícia no país e a pena de morte. O tema pode até parecer forte para muita gente, mas não para Reinaldo Gottino, Tino Júnior, José Eduardo, o Bocão, e Mauro Tramonte, apresentadores do Balanço Geral, da Record TV, em São Paulo, no Rio de Janeiro, na Bahia e em Minas Gerais, respectivamente. Todos os dias, o quarteto noticia crimes que chocam e revoltam a população, assim como manchetes da situação política brasileira atual.


“Brasil tem que ter leis mais severas, mas tem que investir em educação. (...) Tem que cortar (verba) no Executivo, no Legislativo e no Judiciário. Cortou nesses três, você já está dando exemplo para a sociedade”, opina Gottino.


Já José Eduardo é enfático sobre o que pensa em relação a uma das propostas da reforma política que visa criar um fundo eleitoral para bancar campanhas com dinheiro público. Um dos valores propostos pelos deputados chega a R$ 3,5 bilhões. “A gente é que tem a vacina (para acabar com o abuso de alguns políticos). Mas se a gente ficar sentado, acomodado, os caras vão botar para R$ 5 bi (bilhões), porque aqueles caras lá querem se eleger, se perpetuar no cargo”, alerta.


Já Tramonte explica qual é o papel que eles, apresentadores de um jornalístico nos moldes do Balanço, representam para os telespectadores. “Nós temos a responsabilidade de mostrar o que está acontecendo, de levar até a população. ‘Está acontecendo isso. Então, abra os olhos, você tem o direito de correr atrás, direito de se manifestar’”.


Sobre a pena de morte, Tino Júnior pontua que “meu medo é que, num Brasil de tantas injustiças, a gente cometa mais injustiças ainda. A gente não tem um Judiciário preparado”.


Porchat recebe no talk show também o especialista em tornozeleira eletrônica Carlos Alberto Luna, representante de uma empresa que monitora o dispositivo em seis Estados do Brasil. Ele explica como funciona o aparelho, usado por mais de 30 mil pessoas, entre condenados e vítimas, e levanta dúvidas sobre a eficácia do método adotado pelo sistema penitenciário para controlar o deslocamento de detentos em regime semiaberto. Será que o dispositivo garante, mesmo, que presos não fujam? Essas e outras respostas no Programa do Porchat desta noite. Está imperdível!


Programa do Porchat é exibido de segunda a quinta-feira na Record TV, à 0h15.