top of page
  • Redação

Rafael Cortez lança seu novo CD chamado “Que Sorte a Minha”


(Foto: Divulgação)


Cantor, compositor, violonista, ator e humorista, Rafael Cortez lançou hoje, dia 05 de novembro, o álbum independente “Que Sorte a Minha”, em todas as plataformas digitais. Além da versão digital, com distribuição da Tratore, serão disponibilizados 500 cópias em CD físicos com venda digital.

“O álbum não poderia ter um título melhor quando penso na minha relação com a música brasileira. Esse nome faz ainda mais sentido quando penso em como nasceu a maior parte das peças que o público vai ouvir: foi a minha resposta à pandemia imposta pela Covid-19”, conta Cortez. “A doença mudou radicalmente nossas vidas e ceifou milhares de outras. Mas dela, entre outras criações pessoais, fiz nascer as obras desse álbum”, completa.


Além disso, para ele, o nome “Que Sorte a Minha” caiu como uma luva também por conta dos encontros que pôde ter nesse trabalho. “O disco conta com a produção musical de Pedro Mariano, que trouxe um time de arranjadores e músicos excepcionais como Conrado Goys, Herbert Medeiros e Agenor de Lorenzi, entre outros”, explica. A produção executiva é de Patricia Fano e o disco foi gravado no estúdio de Dudu Borges. “A cereja do bolo é ter a participação de Rafaela Mariano, jovem de 14 anos filha de Pedro e neta de Elis, nos backing vocals de algumas faixas”, comemora Cortez.


“É um privilégio saber que um projeto como esse nasceu do meu coração no meio de uma pandemia e em um país como o nosso, num contexto onde tudo estava tão ruim e as perspectivas não eram as melhores”, reflete. “Pois bem, “Que Sorte a Minha” é um registro de uma época e é a minha resposta ao que eu vivi. É uma expressão de amor, por amor e com amor. Espero que seja com esse mesmo sentimento que ele agora siga vivo”.


Rafael já tem quatro trabalhos musicais lançados. Foram dois álbuns de violão solo, com suas próprias composições (“Solo”, em 2005, e “Elegia da Alma”, em 2011), um disco de versões novas para as músicas mais engraçadas da MPB, chamado “MDB – Música Divertida Brasileira”, um álbum de pop-rock ao lado da banda Pedra Letícia e o EP “MPB – Naquele Tempo”, lançado em 2019, pela Sony Music, com suas primeiras composições de MPB. Todos os álbuns foram pagos por Cortez com recursos 100% próprios, sem crowdfunding, leis de incentivo ou patrocínios.


Segundo Cortez, foi com o lançamento de seu EP em 2019 que ele se encontrou mesmo na música. Estudante de violão desde os 17 anos e amante de MPB desde sempre, Cortez decidiu dedicar tempo e energia musical ao gênero de que mais gosta. Em 2017, ele já havia mostrado isso ao Brasil, na tela da Globo, quando foi um dos competidores da primeira edição do reality Pop Star.


Atualmente, Rafael Cortez segue forte na prática de uma carreira multifacetada, onde suas aptidões artísticas ganham protagonismo de acordo com seus projetos. Em breve, ele lançará programa próprio na TV aberta, gravará uma série como ator e estreará novo solo de comédia - ao mesmo tempo em que mantém seu podcast.

Comments


bottom of page