top of page
  • Redação

Com questionamentos e ensinamentos espetáculo “O que faremos com Walter?” traz renomado elenco


(Foto: Divulgação)


O sucesso absoluto de público e crítica na Argentina de O Que Faremos com Walter? é motivado pelo humor ácido e inteligente de Juan José Campanella. Que junto com Emanuel Diez transformam uma situação corriqueira de uma reunião de condomínio numa comédia, onde algumas vezes o espectador ri para não chorar das situações, atitudes e palavras proferidas na reunião extraordinária para saber o que fazer com o funcionário sexagenário.


Os produtores Leonardo Miggiorin e Danny Olliveira entregaram para Jorge Farjalla a missão de dirigir o espetáculo aqui no Brasil. Farjalla é um dos diretores mais comentados na cena teatral por sua inovadora e certeira visão de encenar textos clássicos e contemporâneos.


Na montagem de Farjalla, o cenário é uma espécie de mausoléu/portaria, impondo aos condôminos uma quase prisão, onde deverão discursar sobre seus posicionamentos discutidos, tendo que encarar o outro. “A ação ganha mais força pelo uso dos signos das cores, aqui representada nos figurinos em uma alusão ao Flicts de Ziraldo”, nos adianta o diretor, admirador do autor e do texto, completa “O Que Faremos Com Walter? é sobre a necessidade de olhar para o outro sem o enxergar, condição em que vivemos diariamente em nossas redes sociais, nos aplicativos de relacionamento, nas mesas de bar, em casa.”


Quem viverá Walter, o Zelador, será o ator Elias Andreato, que volta aos palcos depois de um longo período dedicando-se à escrita e direção. E não poderia encontrar melhores personagem e montagem para tal feito. Já para dar vida aos condôminos, ao Zelador e o surpreendente aparecimento de uma irmã, os produtores e o diretor, reuniram um elenco notável. Norma Blum, Flávio Galvão, Marcello Airoldi, Grace Gianoukas, Marianna Armellini, Fernando Vitor e Elias Andreato.


Moradores do condomínio convocam uma reunião extraordinária para decidirem o que fazer com Walter, zelador do edifício há anos.


O início, tudo é amenidade. A comicidade começa quando discussões sérias, referente aquele condomínio, são expostas, o que também induz o público à emoção.


Todo tipo de absurdos, que faz o público rir de situações constrangedoras, são expostas. Um fato inesperado acontece. A chegada da irmã gêmea do Zelador também é uma linha condutora da história. As discussões entre os personagens contem palavras com viés ideológico, apontam traições e atitudes diferentes entre as gerações.

O texto aborda a questão do idoso. Traz à tona um tema importante, o ETARISMO, de forma leve, mas, questionadora. E convida o público a refletir sobre a maneira que convive com seus idosos, além de trazer uma reflexão sobre nossos comportamentos e, quem sabe, mudar a partir daí. Ou não. Enfim.


Serviço:


Data: 03/03 a 23/04 Horários: Sexta e Sábado às 20h00 | Domingo às 18h Local: Teatro Opus Frei Caneca

Endereço: Rua Frei Caneca, 569 - 7º Piso Ingressos: A partir de R$ 35,00

Classificação: 12 anos

Duração: 100 min

Ingressos: Online | Bilheteria

Funcionamento Bilheteria: Terça a Domingo, das 12h às 15h e das 16h às 19h. Nos dias de evento, das 12h até o horário de início da atração.

Vendas: Uhuu.com

Comments


bottom of page