• Bianca

Comédia "Odeio ser pobre" evoca os tempos de crise com maestria


(Foto: Divulgação)

A vida está difícil: cartões atrasados, metrô lotado, luz cortada, carnês se multiplicando, chefe chato, salário curto… então, milhões de dólares caem do céu, só que para colocar as mãos nessa bolada, Carlos Alberto tem que provar para tia, que é uma psiquiatra louca e para o tio, o safadão sedutor, que a família é normal: uma esposa com narcolepsia e sem filtros na língua, uma matriarca que é mãe de santo trambiqueira e um filho muito delicado….Pode dar certo??


Uma família nada convencional invade o Teatro Augusta na comédia “Odeio ser pobre”, de Cláudio Caramante. Quando nada mais parece dar certo para Carlos Alberto, a visita surpresa de um tio rico desconhecido pode ser seu ponto de virada tão esperado. Com a intenção de partilhar sua herança ainda em vida, a família de Carlos Alberto tem tudo para levar a bolada. Porém, não tão facilmente assim. A esposa do tio Borbinha, a psiquiatra Prochaska Borba Gato, possui critérios rígidos no qual seus parentes terão que se encaixar para se mostrarem dignos da herança. Agora, Carlos Alberto precisa passar por poucas e boas para disfarçar os problemas e segredos da família.


Com referências em séries icônicas da televisão brasileira como “Sai de Baixo”, “Toma lá, dá cá” e “Vai que Cola”, a comédia teatral “Odeio ser pobre” explora a vida real da classe média brasileira, em crise no cenário econômico atual, suas peripécias e, claro, as loucuras e segredos escondidos por cada um de seus personagens. A peça pergunta ao espectador, de forma leve e cômica, duas questões: O dinheiro traz felicidade? E até onde as pessoas podem ir para conseguir este dinheiro?


Ao lado de Carlos Alberto, este pai de família que tem certeza que só será feliz se for rico, estão sua esposa Suellen, uma ex-miss que sofre de um tipo narcolepsia conveniente, seu filho Carlinhos, um homossexual que sonha em ser transformista, mas usa uma carapuça homofóbica na frente do pai, e sua mãe Zilda, uma mãe de santo trambiqueira. Cada um mostra um ponto de vista e uma dificuldade diferente, representando diversos lados de pessoas gente como a gente, que precisam batalhar muito para sobreviver. ​


Com tantos personagens e situações cotidianas, é impossível não se identificar com os problemas de cada membro desta família, que dão vida ao texto ágil e lúdico que oferece a reflexão sobre preconceitos e problemas sociais, levando ao público temas sérios de forma muito bem humorada.


Veja a capa do espetáculo:




Serviço:

Temporada: de 28 de Outubro á 19 de Novembro

Horário: Sábado 22h e Domingo 20h

Recomendação: 14 anos

Duração: 80 min

Ingressos: R$60,00 (Com opção de meia entrada)

Local: Teatro Augusta

Endereço: Rua Augusta, 943 - Cerqueira César - São Paulo

Vendas pela Internet: www. ingressorapido.com.br

Informações: (11) 3151.4141

Funcionamento da Bilheteria: Quarta, Quinta e Sexta das 14h às 21h30. | Sábado das 13h às 21h30. | Domingo das 13h às 20h.