• Bianca

Kell Smith confirma apresentação em São Paulo que contará com hits da carreira e covers de grandes n


(Foto: Gustavo Arrais / Divulgação)

Um dia em 2014, Kell Smith chegou a um barzinho de música ao vivo em Presidente Prudente, interior de São Paulo, onde seu pai morava, e o dono do local estava mostrando vídeo no Youtube “dessa menina com voz incrível” cantando e tocando ao violão “Telegrama”, de Zeca Baleiro.


Corta para outubro de 2017 e tem no setlist do show de abertura da turnê dela, dia 5 de outubro, no Teatro Opus (Shopping Villa-Lobos), em São Paulo, a tal música e a tal voz “incrível”, além de outras 12 que fazem dela o maior fenômeno na música do país no ano.


Os ingressos para esta apresentação já estão à venda na bilheteria do Teatro Opus, pelo telefone (11) 4003-1212, pelo site da Ingresso Rápido (https://www.ingressorapido.com.br) e pontos autorizados (https://www.ingressorapido.com.br/PontosVenda.aspx).


Maior fenômeno não é expressão exagerada. Com dois EPs e sete canções próprias, Kell Smith alcançou o que cada vez mais parecia improvável na cena brasileira – um artista novo se tornar o mais tocado nas rádios nacionais.


Não só isso, pois desde o primeiro lançamento, com as já alçadas à categoria de hits, “Era Uma Vez” e “Respeita as Mina”, ela se tornou a brasileira mais ‘valorizada’ (por algoritmo de execuções e trend) do mundo digital, em plataformas como Spotify e YouTube.


Uma passada pelo set list da apresentação traz, além das já citadas, alguns ingredientes que fizeram de Kell Smith a artista que é hoje. Tem Elis Regina (“Alô, Alô, Marciano”), Nando Reis (“Por Onde Andei”), Roberto e Erasmo Carlos (“Nas Curvas da Estrada de Santos”), Mutantes (“Top Top”) e mais. Sendo que esse “e mais” inclui as músicas próprias que bombam nas plataformas já citadas – “Meu Lugar”, “Viajar é Preciso”, “Nossa Conversa”, “Sete Galáxias” e “Coloridos”. Sem contar eventuais surpresas.


A produção e direção artística é de Rick Bonadio e de sua equipe do Midas, que faz jus ao nome e da mão de ouro no garimpo e lapidação de talentos como ela. Tem também o cenógrafo Zé Carratu assinando o visual de palco. Junte os quatro elementos, artista, música boa, cenografia de palco e produção/direção e tens uma quadra de ases à mesa logo na estreia da primeira turnê.


Mais uma vez voltamos ao repertório e o que já conhecemos de Kell Smith em registro em estúdio e novas cores compõem a paleta de guitarra, baixo, bateria, cordas, violão, piano, arranjos, no palco. No final, é um show. Mas pode ser também chamado de aula de bom gosto.


Valores:



Serviço:



Data: 5 de outubro

Horário: Quinta-feira, às 21h

Local: Teatro OPUS

Endereço: Av. das Nações Unidas, nº 4777 - Alto de Pinheiros/ 4º piso – Shopping Villa-Lobos)

Site: www.teatroopus.com.br

Classificação: Livre

Duração: 75min