• Bianca

Festa de premiação da V Edição do Prêmio Aplauso Brasil lota platéia de famosos

Ontem, 11 de julho, os atores Marcelo Medici e Marisa Orth comandaram a cerimônia que marca o quinto aniversário do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro,no palco do Teatro Porto Seguro. Criado pelo site Aplauso Brasil (www.aplausobrasil.com.br) - que completa 15 anos em outubro – a festa celebra os profissionais das artes do palco.


Com direção geral de Ricardo Grasson, o V Prêmio Aplauso Brasil conta com a participação da Orquestra Filarmônica Padre Moye, cujos participantes integram um projeto social de formação de músicos da Zona Norte de São Paulo, sob regência do maestro Claudio Marcello.


(Foto: Divulgação)


O os atores-cantores Amanda Acosta, Cassiano Leonardo, Débora Duboc e William Soares fazem o número de abertura. Os espetáculos concorrentes na categoria Melhor Musical, apresentarão seus números: Cartola – O Mundo é um Moinho, com Augusto Pompeu, Flávio Bauraqui e Virgínia Rosa; Cinderella, com Bianca Tadini; Gota D’água, com Laila Garin e Rocky Horror Show, com Marcelo Medici, Felipe Mafra, Jana Amorim, Marcel Octávio, Nicola Lama e Thiago Garça.


“Começamos 2017 em festa. Cinco anos de Prêmio. Sem patrocínio, mas parceiros que fazem tudo acontecer. Comprometimento, amor, fé no caminho que segue. São os ingredientes indispensáveis, pelo menos para mim, para solidificar um artista, um ser humano. Essa é a dura realidade do site Aplauso Brasil que há 15 anos conta com colaboradores que amam escrever para nós, com o apoio do SESC SP e com parceiros que compram espaço promocional. Temos uma linda trajetória para celebrar”, diz Michel Fernandes, criador do site e do prêmio.


Todos os anos são premiadas personalidades que contribuíram, e ainda contribuem, em diversos sentidos para o aprimoramento da História do Teatro Brasileiro. Nessa edição os contemplados com o Prêmio Especial são Etty Fraser, Ivam Cabral, Renato Borghi e Ruth de Souza.


“Etty Fraser, além de ser uma das fundadoras do Teatro Oficina e ter protagonizado, ao lado de Eugênio Kusnet, a lendária montagem de Pequenos Burgueses, realizou a inesquecível campanha da F.A.C.T., de venda de broches com a máscara da tragédia e da comédia, em prol dos atores com HIV, além de suas inesquecíveis criações no teatro, TV e cinema; Renato Borghi, assim como Etty Fraser, um dos fundadores do Teatro Oficina e também protagonista de Pequenos Burgueses tem notória participação para os avanços da dramaturgia contemporânea com a criação da Mostra de Dramaturgia Contemporânea, no Sesi, além de dirigir e escrever para o teatro;Ruth de Souza que em seus quase 70 anos de carreira rompeu barreiras e deixou campo livre em diversos setores, negra, mulher, de origem humilde, Ruth conseguiu, devido a seu talento e dedicação, alcançar sucesso no teatro, cinema e televisão, sendo a primeira atriz brasileira a receber uma indicação a um prêmio de cinema internacional; e Ivam Cabral, um dos fundadores da Companhia Os Satyros, com carreira em diversos segmentos teatrais, é diretor da SP Escola de Teatro, centro de referência, com modelo pedagógico respeitado internacionalmente, no ensino das artes do palco”, afirma Fernandes.


A partir de 2017, duas novas categorias passam a acrescentar o escopo do Prêmio, o de Melhor Espetáculo Para o Público Infantil e Jovem, o Troféu Menor de Idade, destinado aos espetáculos feitos para o público infantil, cujo prêmio inaugural será entregue à Luiza Jorge, criadora do, agora, Prêmio SP de Incentivo ao Teatro infantil e Jovem, cuja importância é vital para a credibilidade do teatro realizado para as crianças e jovens; quanto à outra categoria, apenas revelaremos no dia da cerimônia.


“A noite pretende ser repleta de emoção e diversão. Só uma reunião de artistas e seu público é capaz de nos recarregar para encarar os tempos caóticos em que estamos imersos”, pontua Michel. “Devemos homenagear os artistas de teatro que tanto lutaram contra o preconceito, que foram perseguidos por uma ditadura militar e pelos olhos turvos de muita gente”, conclui.


A comissão julgadora é formada por Bia Ramsthaler, Júlio César Dória, Kyra Piscitelli, Luciana Schwinden e Teca Spera. A Comissão de Conselho formada por: Cassiano Leonardo, Edgar Olímpio de Souza, Fernando Pivotto, José Cetra Filho, Laerte Késsimos, Luis Francisco Wasilewski, Maria Eugênia de Menezes, Mauricio Mellone, Miguel Arcanjo Prado, Nanda Rovere, Simone Zucato e Vinício Angelici, indicaram dois candidatos nas duas semifinais semestrais. Para completar a “equipe de votação” houve maciça participação do público, das indicações ao vencedor pelo Voto Popular.


Eva Wilma recebeu o troféu de Melhor Atriz, por sua performance na peça O Que Terá Acontecido a Baby Jane?, cuja companheira de cena era Nicette Bruno e foi aplaudida de pé pela plateia repleta de famosos, como os atores Eriberto Leão, Bárbara Paz, Laila Garin e Fúlvio Stefanini. “Eu sou muito fã de todos os companheiros que estão aqui hoje. Todos que trabalham com o teatro no Brasil merecem reconhecimento e respeito. Obrigada aos que estiveram comigo durante um ano de preparação para a nossa peça. Teatro sim e sempre!”, agradeceu Eva, ao receber flores da dupla de apresentadores da noite, Marcelo Médici e Marisa Orth.

(Foto: Samuel Chaves - Brazilnews / divulgação)

MELHOR ILUMINAÇÃO

Juri Popular: Maneco Quinderé por “Jim”

Juri Técnico: Wagner Antônio por “Gota D’Água [a seco]”

MELHOR FIGURINO

Juri Popular: Rosângela Ribeiro por “Fim de Partida”

Juri Técnico: Marcio Medina por “Cabras- Cabeças que voam, Cabeças que rolam”

MELHOR ARQUITETURA CÊNICA

Juri Popular: Marcio Vinicius por “Sobre Ratos e Homens”

Juri Técnico: André Cortez por “Gota D’Água [a seco]” e “O pai”

MELHOR TRILHA SONORA

Juri Popular: Felipe Storino por “Nós”

Juri Técnico: Daniel Maia por “A última dança”

MELHOR DRAMATURGIA

Juri Popular: Leonardo Cortez por “Sala dos Professores”

Juri Técnico: Victor Nóvoa por “Verniz Náutico para tufos de cabelo”

MELHOR DIREÇÃO

Juri Popular e Técnico: José Roberto Jardim por “Adeus, palhaços mortos!” 



MELHOR ELENCO

Juri Popular: “Sala dos Professores” (Carolina Fabri, Marina Vieira, Pedro Haddad, Rodrigo Spina, Wallyson Mota, Laís Marques e Leonardo Cortez)

Juri Técnico: “Nós” (Antonio Edson, Chico Pelúcio, Eduardo Moreira, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia, Paulo André e Teuda Bara)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Juri Popular: Sophia Valverde por “O que terá acontecido a Baby Jane?”

Juri Técnico: Érica Montanheiro por “Histeria”

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Juri Popular: Vinicius Teixeira por “Gabriela, Um Musical” 


Juri Técnico: Eucir de Souza por “Um berço de pedra”

MELHOR ATRIZ

Juri Popular: Eva Wilma por “O que terá acontecido a Baby Jane?”

Juri Técnico: Laila Garin por “Gota D’Água [a seco]”

MELHOR ATOR

Juri Popular: Eriberto Leão por “Jim”



Juri Técnico: Ando Camargo por “Sobre Ratos e Homens”

DESTAQUE

Juri Popular: “Companhia Humbalada de Teatro”- pelo projeto Periferia Trans

Juri Técnico: Maria Alice Vergueiro pela obra 20 anos do Guia OFF

MELHOR ESPETÁCULO DE GRUPO

“Os Arqueólogos” – Cia. Empório de Teatro Sortido

“Cabras- Cabeças que voam, Cabeças que Rolam”- Cia Balagan

“Adeus, palhaços mortos!” – Cia. Academia de Palhaços

“Nós” – Grupo Galpão

Juri Popular: “Canto Para Rinocerontes e Homens”- Teatro Osso 


MELHOR ESPETÁCULO MUSICAL

Juri Popular: “Cartola – O Mundo é um Moinho”- Jô Santana

Juri Técnico: “Rocky Horror Show”- Möeller & Botelho

MELHOR ESPETÁCULO DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE

Juri Popular: “Kiwi” Dirigido por Lucianno Maza

Juri Técnico: “O pai” – Dirigido por Léo Stefanini

Serviço:

Data: 11 de julho

Horário: às 20 horas.

Classificação: Livre.

Duração: 110 minutos.

Local: Teatro Porto Seguro

Endereço: Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.

Telefone (11) 3226.7300

Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h à