• Bianca

Com Brenno Leone, Josie Pessoa, Thaíssa Carvalho Neura tem estréia lotada na capital paulista


(Foto: Divulgacão)


Regiana Antonini (Doidas e Santas, Amadas, Tô Grávida, Chá Das Cinco) tem como característica escrever peças teatrais sobre o seu tempo. Ela busca na própria vida coisas que vê, escuta, observa, questiona e sente. Esse é o seu material de trabalho: a observação daquilo que está em sua volta. Seus personagens estão todos por aí, andando nas ruas, sentados nos bares ou correndo nos parques.


No texto Neura, os personagens não apareceram aleatoriamente. Regiana percebeu que ela mesma precisava saber controlar seus desejos e suas neuroses. Entendeu que, por viver numa cidade grande, o seu ritmo de vida estava cada vez mais acelerado. E ao abrir seu foco, observou que a maioria das pessoas também está assim: estressada, solitária, carente, imediatista, violenta, enfim… neurótica mesmo. É só abrir os jornais e constatar através das notícias que a loucura se instala em nossas vidas a cada dia. E é aí, que o teatro entra. Com a função de retratar uma época e suas características. A NEURA é uma das fotos mais ampliadas do nosso tempo.


Essa comédia de oito esquetes tem uma linguagem simples e divertida e traz atores que se desdobram em vários personagens, surpreendendo o público que vai se identificar, rir de si mesmo, ou lembrar-se de alguém muito parecido com um dos personagens.


(Foto: Walquiria/ Foco das Notícias)


OS ESQUETES:


Enxaqueca – Regina Antônia (Josie Pessoa) entra numa farmácia para comprar remédio para sanar sua dor de cabeça que não passa há dias. Reencontra Marcelo (Léo Castro), um amigo que não vê há mais de dez anos. Pergunta sobre a prima dele que era sua amiga de infância. Fica então sabendo que ela morreu de aneurisma cerebral, de repente. E que tudo começou com uma dorzinha de cabeça. Pronto. Ao ouvir a história, Regina Antônia entra numa neurose achando que também vai morrer. E transforma a ida de Marcelo à farmácia, num verdadeiro caos.


Ciúmes, eu? – Helena Beatriz (Thaíssa Carvalho) se separou de Carlos Alberto (Márcio Lima) há pelo menos cinco anos. Ela sempre diz que se separou dele porque o ex-marido era ciumentíssimo. Acontece que Carlos Alberto já refez sua vida e hoje mora com Stefany (Brenno Leone), rainha de bateria de uma escola de samba do segundo grupo. Helena não se conforma. Invade a casa de Carlos Alberto, como se ainda fosse sua mulher e faz um escândalo. Depois de muitos xingamentos e muita discussão, percebe-se que aquilo foi um exercício que seu terapeuta propôs para que ela, aos poucos, vá pondo aquela sua neura para fora.


TOC X TPM – Kênia (Josie Pessoa) e Margareth (Léo Castro) são amigas e acabaram de entrar num restaurante. Kênia é cantora de ópera e, portanto, precisa poupar sua voz. Está sempre usando um cachecol e óculos escuros. Margareth acabou de quebrar a casa toda, teve um surto, está na TPM. As duas tentam conversar, mas não se escutam. Kênia, toda hora pede para trocar de mesa, pois sente uma friagem que vem ou da porta ou do ar condicionado, ou até de um leque que uma mulher está abanando na mesa ao lado. Margareth, por sua vez, não para de falar. Conta como foi que quebrou a casa toda. O garçom (Brenno Leone), sempre muito educado tenta atender as duas até que explode e expulsa as mulheres do restaurante.


Ou o Mengão, Ou Eu – Antônio Maurício (Léo Castro) é flamenguista roxo. E como todo torcedor fervoroso, ele tem suas manias: usa o manto sagrado durante pelo menos um dia depois de uma vitória, vai a todas as finais de campeonato, assiste aos jogos pela TV no último volume. Letícia (Thaíssa Carvalho), sua namorada há oito anos, não aguenta mais. Tudo na vida de Antônio Maurício gira em torno do Mengão. Ela quer comemorar o aniversário de namoro deles no mesmo dia da final entre Flamengo e Vasco. Antônio Maurício não só esquece a data, como diz que vai ver o jogo. Letícia não aguenta e num surto repentino, rasga a bandeira do Flamengo, joga o boné do Mengão, pela janela. Acaba terminando seu namoro. Antônio Maurício não entende absolutamente nada. Acha que a namorada está louca.


O Primeiro Encontro – Clara (Josie Pessoa) e Theo (Brenno Leone) são dois jovens lindos e estão se comunicando através de um “aplicativo de pegação”. Depois de muitas mensagens trocadas e fotos enviadas, resolveram se conhecer pessoalmente. Clara está em seu quarto se arrumando para esse primeiro encontro. Sua amiga Laura (Thaíssa Carvalho) está com ela e resolve analisar o rapaz que sua amiga irá encontrar. Do outro lado do palco, Theo também está se preparando para ir a esse primeiro encontro e tem ao seu lado seu amigo João (Márcio Lima). Tanto Laura quanto João, ao analisarem as mensagens trocadas, instalam a “neura” na cabeça do casal. Laura acha que Theo é um velho psicopata e João acha que Clara é uma cilada, que deve ser uma louca. Influenciados pelos seus melhores amigos, tanto Clara quanto Theo resolvem não ir mais a esse primeiro encontro.


Elevador – O medo de um elevador parar, ou até cair, faz com que Rui (Brenno Leone), que está acompanhado de suas duas amigas Sônia (Josie Pessoa) e Sheila (Thaíssa Carvalho), comece a calcular ainda na fila a somatória do peso das pessoas que estão prestes a entrar. Paulo (Márcio Lima) já estava na fila. Quando Carlos (Léo Castro), bem acima do peso, está prestes a entrar, Rui não deixa. Diz que o elevador já alcançou o peso limite. Carlos não se deixa abater. Entra no elevador e a porta se fecha. O elevador vai subindo e Rui vai ficando cada vez mais nervoso. Seu nervosismo acaba contaminando a todos. Começa uma discussão. O elevador treme. Rui quer sair. Não consegue. Até que o elevador para e ele sai já quase enfartando. Ele está tão mal, que desiste da entrevista de emprego, por conta da firma ser no vigésimo quarto andar.


O Tracinho Azul – Olavo (Márcio Lima) está digitando uma mensagem no whatssapp para a sua mulher. Fala com Lucas (Léo Castro), seu amigo, que sua mulher é uma idiota, acredita em tudo que ele diz. Na mensagem ele fala que vai se atrasar, que tem reunião. Acontece que isso é uma mentira. Na verdade vai sair com uma gata. Após receber a resposta amorosa de sua mulher, ele então digita para a sua amante: “minha mulher acreditou na reunião. É uma pata mesmo! Então temos a noite toda pra curtir e fazer o que você quiser, minha deusa maravilhosa! Gostosa! Vou te fazer muuuito feliz! Tô indo pra sua casa!” E manda a mensagem. Acontece que ele, ao invés de mandar para sua amante, enviou para a sua própria mulher…


Serviço:

Período: 13 de Janeiro a 19 de Fevereiro de 2017

Local: Teatro Gazeta (AV. Paulista, 900 – Térreo)

Horários: Sexta, 21h; Sábado, 21h30 ; Domingo, 20h

Duração: minutos

Classificação: anos

Preços dos ingressos: Sexta e Domingo R$ 70 | Sábado R$ 80

Vendas de ingressos: bilheteria do Teatro | Site teatro

Funcionamento da bilheteria: de terça-feira à domingo, das 14:00 até o início do último espetáculo.