• Bianca

Repórter Record Investigação conta a história de pessoas inocentes condenadas por crimes


(Foto: Divulgação)

O Repórter Record Investigação desta quinta-feira,(31), revela o drama de pessoas que foram condenados pela justiça no lugar de bandidos perigosos. Eles carregam as marcas da violência física e psicológica que sofreram nas prisões e são inocentes, vítimas de investigações mal feitas as quais os levaram a condenações por estupro e assassinato.


Eugênio e Paulo envelheceram na cadeia. Eles passaram quase vinte anos atrás das grades só porque tinham o rosto parecido com o de um psicopata que aterrorizava mulheres em Belo Horizonte, Minas Gerais. Durante os tempos de cárcere, os dois perderam a mãe, as esposas os abandonaram e eles tentaram se matar: "Eu me cortei todo com gilete. Foi Deus quem me salvou", diz Eugênio.


Aldenor foi preso dois dias antes da formatura da filha, condenado por assassinar um homem que, na verdade, estava vivo: "Jogaram parte da minha vida no lixo", desabafa.


O dentista André foi apresentado à imprensa como um bandido que roubou e violentou sete mulheres. Ele não tinha passagem pela polícia e apresentou álibis para todos os crimes. E mesmo assim foi condenado: "Foi um terror que jamais vou esquecer", revela.

O Repórter Record Investigação, apresentado por Domingos Meirelles, é exibido às quintas-feiras, às 23h30.